Desse ou Deste: qual a diferença?

Na hora de escrever ou falar, talvez você já tenha enfrentado a seguinte dúvida: desse ou deste? Qual a diferença entre uma e outra? Ambas as palavras citadas existem na língua portuguesa e estão corretas, mas é preciso saber em que ocasião aplicar cada uma delas.
Antes de tudo, você deve saber que desse e deste correspondem à contração da preposição “de” com os pronomes demonstrativos “esse” ou “este”. Por isso, as regras gramaticais são as mesmas aplicadas aos referidos pronomes.
Em uma primeira oportunidade, faremos uma explicação mais prática, porém um pouco superficial.
Após isso, faremos uma abordagem aprofundada acerca do tema proposto, esclarecendo as regras gramaticais pertinentes e indicando conceitos como catáfora e anáfora. Assim, o conhecimento linguístico adquirido será ainda mais completo e útil.
Se quiser assistir a uma videoaula para facilitar o aprendizado, clique no vídeo a seguir:


Pronomes este, esse e aquele

Conforme já explicado inicialmente, o emprego das palavras desse e deste segue exatamente as regras gramaticais impostas aos pronomes demonstrativos esse e este. Relembre: desse é formada a partir da contração de + essedeste é formada a partir da contração de + este. Dito isso, agora é importante sabermos que os pronomes demonstrativos possuem a função de indicar posição de algo ou alguém no espaço, no tempo ou no texto.
Vamos esclarecer isso a seguir.

Espaço

Em relação ao espaço, os pronomes demonstrativos referem-se a pessoas ou coisas situadas próximas ou distantes das pessoas do discurso.

Deste, próximo de quem fala

Assim, este é usado quando determinado objeto está próximo de quem fala. Dizemos, por isso, que são formas de primeira pessoa. Veja um exemplo:

Ao abrir a geladeira, João disse: hummm, este é meu sorvete favorito.

Neste caso, o sorvete estava próximo de João.

Da mesma forma, devemos usar a palavra deste, quando pessoas ou objetos estiverem próximos de quem fala. Por exemplo: 

Gosto muito deste carro.
Não consegui tirar as manchas desta camisa.
O vendedor não especificou as características deste celular.

Desse, distante de quem fala

Por sua vez, a palavra desse deve ser utilizada quando a pessoa ou o objeto estão próximos da pessoa com que se fala, ou seja, a segunda pessoa do discurso.
Logicamente, o referido objeto está distante da pessoa que fala.
Imagine um discurso entre João e Maria. João é a primeira pessoa (quem fala) e Maria é a segunda pessoa (com quem João fala).
Trata-se de pronomes de segunda pessoa. Observe mais um exemplo.

João diz:
Eu gostei muito desse seu novo cabelo.

Logicamente, o cabelo está próximo de Maria. Mais do que isso, a frase demonstra que João está distante de Maria. Por isso, usamos a palavra desse.

Daquele, distante de quem fala e da pessoa com quem se fala

Não custa mencionar que a mesma regra é aplicada ao pronome aquele ou aquela. Neste caso, objeto está distante da pessoa que fala (1ª pessoa) e da pessoa com quem se fala (2ª pessoa).
Em razão disso, são esses pronomes são formas de terceira pessoa.

Voltemos então ao discurso entre João e Maria.

João diz:

Por favor, coma somente os biscoitos daquele pacote.
Não gostei muito da atitude daquele homem.

Nesse exemplo, o pacote de biscoitos está distante de João e de Maria. Em relação à segunda frase, o homem também está distante das duas pessoas do discurso.

Outro exemplo:

João diz:
Aquele homem só fala asneiras!

O aquele se refere a uma terceira pessoa do discurso.

Tempo

Em relação à indicação de tempo, os pronomes demonstrativos podem se referir aos tempos passado, presente e futuro

Deste, tempo presente

O pronome este deve ser empregado quando estivermos nos referindo ao tempo presente. A regra vale também para suas variações, como neste e deste (de + este). 

Veja exemplos:

Ainda estou comemorando as vitórias deste dia maravilhoso.
Agradeça a Deus por este dia, que ainda não terminou.
João ligou para Maria neste exato minuto.

Desse, tempo passado e futuro próximos

O pronome demonstrativo esse, e suas variações, refere-se a tempo passado ou futuro. Mas atenção: passado ou futuro próximos!
No caso de passado ou futuro remotos ou distantes, devemos usar o pronome daquele e suas variações.
Vejamos exemplos:

Eu me lembrei desses dias que passamos juntos.
Estou ansioso para o início desse mês que se aproxima.

Daquele, tempo passado e futuro vagos ou remotos

Conforme explicado acima, o pronome aquele refere-se a tempo passado ou futuro muito distantes, remotos.
Por exemplo:

Tenho saudade daqueles tempos em que se podia andar à noite sem medo.
Naquela época, tudo era mais fácil.
Aquele tempo não volta mais.

Já vimos o emprego dos pronomes demonstrativos em questão, de modo que você já é capaz de falar e escrever deste ou desse sem maiores problemas.
No entanto, ainda existe o empregos dessas palavras para indicar posições dentro ou fora de um texto.
Para entender essa regra, devemos explicar alguns conceitos subjacentes, tais como anáfora e catáfora. Os nomes podem assustar em um primeiro momento, mas não é um bicho de sete cabeças, avante!

Referência

Inicialmente, para que você possa entender completamente o tema abordado, precisamos recorrer a um dos conceitos da linguística textual: a Referência, que nada mais é do que um processo no qual é possível recuperar elementos que podem estar tanto dentro quanto fora do texto.
Existem dois tipos referências: as que são exteriores ao texto (exofóricas ou dêiticas) e as que são intrínsecas (endofóricas ou textuais) a ele. 
  • Exo = fora.
  • Endo = dentro.

Referência exofórica

Para esclarecer, vamos aos seguintes exemplos:
Aquele menino é muito estudioso.
Observe que a palavra aquele automaticamente nos remete a aspectos que são exteriores ao texto. 
Quando se fala “aquele menino”, logo se entende que o menino está distante de quem está falando no momento da enunciação. 
Também não se sabe quem é o menino e não há informações anteriores sobre ele.
Esta é a chamada referência exofórica ー mais conhecida dêixis, pois se encontra fora do texto, ou seja, é preciso recorrer ao contexto, à situação comunicativa, para compreender o sentido.

Referência endofórica

Agora, observe este segundo exemplo e perceba a diferença:
João é um aluno muito estudioso. O menino é o melhor aluno da classe.
Observe que o termo “O menino” está se referindo a João. Não é preciso recorrer à situação comunicativa para compreender o sentido, pois a referência se encontra expressa no próprio texto. Esta é a chamada referência endofórica ou referência textual.
As referências endofóricas , por sua vez, estão subdivididas em referência textual anafórica e referência textual catafórica.


Referências Anafóricas e Catafóricas

Antes de se assustar com os nomes, que são complicados em primeira análise, é importante esclarecer que o significado deles é bem simples.
anáfora nada mais é do que a referência a um termo anterior (que já apareceu) no texto.
catáfora é a referência a um termo posterior (que aparecem depois) no texto.
Dê uma olhada nos exemplos abaixo:
Estudem para passar de ano!” Esses foram os conselhos do professor Francisco.
Observe que o pronome “Esses” está se referindo a um termo que lhe é anterior ー no caso, a fala do professor Francisco, sendo, portanto, uma referência anafórica ou uma anáfora.
Agora, veja a diferença no exemplo a seguir:
  Estes foram os conselhos do professor Francisco: “Estudem para passar de ano!
Observe que o pronome “Estes” refere-se a elementos posteriores ao texto, sendo assim, uma referência catafórica ou, simplesmente, uma catáfora.
Assim, os pronomes desse deste podem ser tanto exofóricos quanto endofóricos (anafóricos ou catafóricos).

Desse ou Deste em contexto exofórico (ou dêitico)

Como explicado no início, em contexto dêitico ou exofórico (externo ao texto), desse ou deste estabelecem uma relação longe-perto, ou seja, referem-se a espaço ou tempo.
     Desse se refere a um elemento que está longe de quem fala. Exemplo:
Estou falando desse lápis, que está aí, em cima da sua mesa.
    Deste se refere a um elemento que está perto de quem fala. Exemplo:
Estou falando deste lápis que tenho em minhas mãos.


Desse ou Deste em contexto endofórico (ou textual)

No contexto endofórico ー textual, intrínseco ao texto, desse e deste estabelecem uma relação antes-depois (ou anáfora-catáfora), ou seja:
     Desse se refere a um elemento anterior, sendo também conhecido como pronome anafórico. Ex.:
Fui casado por 15 anos. Desse casamento, nasceram 3 filhos: Maria, Tiago e Pedro.
     Deste se refere a um elemento posterior, sendo também conhecido como pronome catafórico. Ex.:       
Preciso destes legumes para fazer uma salada: tomate, cebola e alface.

Diferença entre este e aquele

Além do que foi estudado, existe ainda uma importante distinção entre os pronomes este e aquele, usados para retomar elementos dentro do texto.
O "este" é usado para elementos mais próximos e o "aquele" é utilizado para retomar elementos mais distantes. Vejamos um exemplo para esclarecer as ideias:
Ovo e leite são alimentos saudáveis: este é rico em cálcio; aquele, em proteínas.
Nesse caso, temos que o leite (mais próximo no texto) é rico em cálcio e o ovo (mais distante no texto) é rico em proteínas.

Recapitulando...

Os pronomes desse ou deste podem se apresentar tanto em um contexto dêitico (situacional, exterior ao texto) quando textual (como o próprio nome já diz, dentro do próprio texto).
Na dêixis, estabelecem uma relação longe-perto (desse = longe de quem fala/deste = perto de quem fala) e na referência textual, estabelecem relação anáfora-catáfora (desse = refere-se a um termo que lhe é anterior / deste = refere-se a um termo que lhe é posterior).
Desse
  • Faz referência a um elemento próximo da pessoa com quem se fala.
  • Se refere a um elemento já mencionado na frase.
  • Indica um tempo futuro ou um passado próximo.
Deste
  • Faz referência a um elemento próximo da pessoa que fala.
  • Indica um tempo presente ou o lugar onde está o enunciador.
  • Refere-se a um elemento que será mencionado posteriormente no texto.
Para resumir, podemos fazer o seguinte esquema:
desse ou deste

Exercícios de fixação

Depois da teoria, vamos resolver alguns exercícios para fixarmos o que aprendemos nessa textoaula de gramática.

Questão 01. Complete as lacunas com uma das palavras entre parênteses.

a) Em 2002, o Brasil ganhou mais uma copa do mundo de futebol.
Lembro-me _________ ano com saudades! (desse ou deste).

b) Estou gostando muito _________ dia, pois estou me divertindo muito. (desse ou deste).

c)  Nunca se esqueça __________ filosofia: Carpe diem. (dessa ou desta).

d) Maria, por favor, traga __________ canetas que estão nas suas mãos. (estas ou essas).

Gabarito: a) desse; b) deste; c) desta; e) essas.


Questão 02. Analise as frases abaixo marque a alternativa em que o uso de “desse” ou “deste” está INCORRETO:

a) Camila Marieta é uma cantora deste país: Brasil.

b) Maria, quando eu precisar desse livro aí, você irá me emprestar?

c) Eu tenho certeza de que o grito de socorro veio deste prédio onde estamos.

d) Não moramos mais na Argentina, pois saímos desse país no final do ano passado.

e) Eu preciso deste lápis que está na mesa ao seu lado.

Gabarito: Letra E. No enunciado “Eu preciso deste lápis que está na mesa ao seu lado”, o termo “deste” está empregado incorretamente, pois, quando nos referimos a algo que está perto da pessoa com quem falamos, o correto é usar “desse”.

Deste e desse como verbos

Não se esqueça de que as palavras desse e deste também podem ser classificadas como verbos. Nesse caso, elas se referem ao verbo dar.
Veja a conjugação no Pretérito Perfeito (tempo passado) do modo indicativo:
  • Eu dei
  • Tu deste
  • Ele/Ela deu
  • Nós demos
  • Vós deis
  • Eles/Elas deram
Na segunda pessoa do singular, temos: tu deste.

Agora, no Pretérito Imperfeito do modo Subjuntivo
  • Se eu desse
  • Se tu desses
  • Se ele/ela desse
  • Se nós déssemos
  • Se vós désseis
  • Se eles/elas dessem
Na primeira pessoa, temos: se eu desse.

E então? Dúvidas esclarecidas? Propague conhecimento! Divulgue este conteúdo em suas redes sociais!
Fale e escreva melhor pelo bem da língua portuguesa (e pelo seu próprio desenvolvimento humano).
Não perca as dicas abaixo:

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem